Março Lilás

Mês de combate ao

Câncer do
colo do útero

Mantenha seus exames em dia.
Faça o Papanicolaou.

A Campanha Março Lilás surge para expandir a conscientização a respeito do câncer do colo do útero, suas implicações e a importância do diagnóstico precoce.

Esse tipo de câncer é o terceiro mais frequente entre as mulheres brasileiras e é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano (HPV), transmitido por relações sexuais desprotegidas.

A infecção pode causar lesões no colo do útero que, se não forem diagnosticadas e tratadas ainda no começo, podem evoluir para um tumor.

80% das mulheres sexualmente ativas terão contato com o Papilomavírus Humano (HPV) ao longo da vida.*

*Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Fatores de risco

Início precoce da vida sexual

Multiplicidade de parceiros

Tabagismo

Uso de pílulas anticoncepcionais orais por muito tempo

Sintomas

A doença não costuma apresentar sintomas nos estágios iniciais. No entanto, nos casos mais avançados pode apresentar sintomas como:

Sangramento

Corrimento vaginal anormal

Dor

O Inca estima que em 2022 devem ser registrados mais de 16 mil casos da doença.

Prevenindo o câncer de colo de útero

Papanicolaou

O Papanicolaou permite detectar a doença ainda em estágios iniciais e sem sintomas. 

O exame é indicado para mulheres que já iniciaram a vida sexual e, após os 25 anos, deve ser feito periodicamente. 

Mulheres que necessitem realizar o Papanicolaou devem entrar em contato com o Instituto de Prevenção pelo telefone (14) 3602-1241 e agendar o atendimento.

Vacinação

A vacina  contra o HPV evita a infecção pelo vírus e reduz as chances do desenvolvimento desse tipo de câncer ou outras doenças relacionadas e é oferecida gratuitamente nos postos de saúde para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, antes do início da vida sexual.

Programa de Prevenção do Câncer Ginecológico

O programa de rastreamento da doença e realização do exame preventivo completou 25 anos em 2021 com quase 80 mil pacientes jauenses atendidos, tendo, como resultado, a redução da incidência do câncer invasor e da mortalidade à quase zero no Município.